PROJETO DO RN É DESTAQUE NA REVISTA EXPERIÊNCIAS EXITOSAS DE FARMACÊUTICOS NO SUS

A última edição da revista “Experiências Exitosas de Farmacêuticos no SUS” destacou um projeto desenvolvido por farmacêuticos do RN. O trabalho dos potiguares apresentou dados da situação das Agências Transfusionais locais e a implementação do Programa Estadual de Qualificação da Hemorrede do Estado do Rio Grande do Norte (PEQH/RN). A experiência de sucesso trouxe um conjunto de dados que se tornou ponto de partida para melhorias dos serviços prestados à população atendida pelas unidades.

Os autores do projeto são os farmacêuticos Jucimary Vieira dos Santos e Geraldo Barroso Cavalcanti Júnior, além da enfermeira Tereza Amélia Maia Saraiva.

Durante a realização do levantamento, constatou-se um cenário que demonstrava a necessidade de um monitoramento contínuo das atividades das Agências Transfusionais. Assim, o Programa Estadual de Qualificação da Hemorrede do Estado do Rio Grande do Norte veio com o objetivo de auxiliar no melhoramento desse serviço de saúde, por meio da qualificação técnica e gerencial dos serviços integrantes da Hemorrede. O PEQH/RN buscou um plano de ação para adequação das não conformidades encontradas.

Desde sua implementação, o Programa conseguiu inserir novos indicadores que ajudam a ampliar o diagnóstico situacional e oferecer suporte à garantia de qualidade de produtos. Outros resultados provenientes deste trabalho foram a incorporação de profissionais com experiência na área de hematologia e hematoterapia, além de melhorias no sistema de gestão de qualidade nas ATs, por meio de monitoramento constante de variáveis como ambiente e procedimentos.

A revista “Experiências Exitosas de Farmacêuticos no SUS” é uma publicação anual do Conselho Federal de Farmácia, que mostra a importância do trabalho dos farmacêuticos na prestação dos serviços de qualidade no Sistema Único de Saúde (SUS). Leia o trabalho completo dos potiguares na edição publicada em dezembro de 2016.

Entrevista com a farmacêutica Jucimary Vieira dos Santos:

CRF-RN: Como surgiu a ideia de trazer esse diagnóstico da situação da AT no estado?

Jucimary: A ideia do diagnóstico surgiu através de uma solicitação da Coordenação Geral de Sangue e Hemoderivados do Ministério da Saúde. O HEMONORTE abraçou este programa e iniciou o seu planejamento no fim de 2015, dando início as visitas e revisitas em 2016.

CRF-RN: Quanto tempo levou para a construção e implantação do Programa Estadual de Qualificação da Hemorrede?

Jucimary: Aproximadamente 6 meses de construção e a implantação está sendo construída ao longo de 2016.

CRF-RN: O que vocês consideram como elemento mais difícil para ser corrigido na Hemorrede do RN? Esse elemento já foi superado, até o momento, ou ainda é um ponto a ser corrigido?

Jucimary: O ponto mais difícil creio que foi a construção de uma nova cultura durante a realização das auditorias, o que já está sendo realizado pela Equipe desde o início do Programa. Somado ao exposto, a Hemorrede ainda apresenta pontos a serem adequados, visto  que ainda não foram finalizadas as visitas/revisitas de todo o RN.

CRF-RN: Em resumo, qual o cenário encontrado nas AT antes da aplicação do Programa?

Jucimary: Carência de um monitoramento do Hemocentro Coordenador como norteador da Política de Sangue e Hemoderivados.

CRF-RN: vocês poderiam pontuar alguns dos resultados mais significativos alcançados pelo PEQH/RN?

Jucimary: A Hemorrede Pública do Rio Grande do Norte se caracteriza por possuir Serviços de Hemoterapia de diferentes níveis de complexidade e natureza, atendendo em 100% os leitos SUS, resumidamente a cultura da gestão da qualidade nos processos da cadeia produtiva do sangue e dos produtos ofertados aos pacientes deve ser considerado o ponto principal dos resultados deste programa.

Podemos pontuar ainda como resultados significativos deste Programa a identificação das áreas críticas e estratégicas técnicas, administrativas e gerenciais, e a promoção da qualificação técnica e gerencial da Hemorrede Estadual. Somando-se a isso, o Programa desenvolve a melhoria contínua nos Serviços de Hematologia e Hemoterapia por meio de avaliação dos processos de trabalho.